Salvação pelo Amor – Jesus

Mais podemos sermos seduzidos, tentados e inclinados para não verificação, num ritmo tentador, de somente mostramos ás práticas de conversão, e não de vida no amor fraterno, diante de apelos da humanidade de Cristo, e ficamos obrigatórios de Cristãos ou crentes em Deus, sendo pecadores. Assim a harpa em seus sons mudam de ritmo – A sabedoria do Senhor Deus, ela sempre esteve com Ele.

Afeiçoa – nos ao Senhor, este ritmo de desejo do coração, amor ao Senhor no servir, simplesmente. O profeta “Oseias” , em seu ministério que tinha, a palavra detalhada num histórico profético (a.C. 787 a 746), no reinado de reino Jeroboão II e sucessivamente, diante das inclinações as contradições de vida com harmonia fraterna, fidelidade ao Senhor, para um plano de Salvação, mudança de vida. Diversas analogias, ensinadas no exercício de noivado, a relação de afeição que tinha ao Senhor, no anúncio e revelações pequenas, para perspectivas de conversas do povo, simples mais importante, Israel, era a extensão do futuro adentro, hoje, os desígnios de escolhas e condução de conduta social e política de seus povos, entornando -os do reinado presente instituídos e gerações advindas.

A vivência e humanidade de Cristo

Em sentidos filosóficos , humanidade de Cristo, num plano humano social e político diante da realidade, figuram sentidos humanísticos ao próprio homem[Term. Ver., 2017], benevolente, sensível, e outros. Na percepção de vida e discernimentos.

A harpa e mudança de sons para ritmos, mais a direção é a mesma – A harmonia da canção, as baixo, com elevação ou mais alto. Neste ritmo de afeição, reconhecemos a Deus, e não á negação, perdidos em nossos anelos e correntes de escravidão de vida, sem Ele, e nem irmanados.

[Santos, Jusenildes.,(2019). Salvação pelo Amor – Jesus. University Europeia Atlantic – Es. Ibero americana – Br. [ Estudos e reflexão]. Teologia e política – FCP. TI- CIN, 2019]