Tópicos e percepções – TICs: Ação estratégicas, Gestão SSAN: Compartilhamento de conhecimento com perspectivas (MCTIC); Eixos práticos C.T – Carnais alimentadores: CO; CS; CN; CNE e CSE [Universidades – Projetos subsídios para: Aprendizagem e conhecimento]


1. Introdução

O encontra – se o ENPSSAN na ênfase da IV edição, invade desafios gritantes de respostas e sobretudo de avaliações em suas políticas de ativas de evidências, por confirmar existências perante autonomia enquanto e entidade agremiadora de profissionais atuantes em continuar e avançar perspectivas e face as correções necessárias básicas que seus eixos diretivos de execução: Conselho e categorias de conectores de extensão funcionais, como: a) Ação executiva; b) GTs – Grupos temáticos ; c) Produção cientifica literária(Formatos e disseminação) e d) Perspectivas em novos carnais e vínculos inovativos de políticas públicas mediante a conjuntura atual, carente de novos entornos e direções compartilhadas frente a entidade “ENPSSAN” e sua constituição oficial presente e; profissionais vinculados e ações junto à comunidade acadêmica e cientifica. Neste buscaremos tecer alguns tópicos e percepções básicas colaborativas, na perspectivas de TICs: Estratégias e gestão com contornos de: Aprendizagem e conhecimento, como referenciais de informacionais de fontes recuperadas in loco, sob contribuições em dinâmicas: 1) Apresentações de políticas e projetos funcionais e extensivos de bases centrais por região – Gestores; pesquisadores; representantes institucionais e discentes basicamente; 2)Discussões em grupos e apresentações e orais individuais experiências (Ativa Goiânia, como um foco de estudos e investigação, área de concentração: Projetos. Em uma perspectiva de recursos auxiliantes e ferramentas pedagógicas e interdisciplinares.

2. Desenvolvimento

2.1 – Ação – Projetos: SSAN (MCTIC)

• Projetos funcionais existentes funcionais e políticas públicas – Redes dentro de C& T;
• Experiências in loco com as universidades e profissionais;
• Atuação de coordenações e gestão e sincronização;
• Aspectos restritos de planejamentos e controles mapeamentos.

2.2. Inovações e práticas: Projetos

2.2.1 – Extensões de formação e novos carnais

Formação de professores em países da Língua portuguesa: EAD como modalidade WWW em metodologia por módulos e com aceitação na perspectiva de 630 ( seiscentos e trinta) colaboradores e participação: Formação de professores e pesquisas, tendo como estratégias multiplicadores: Curso de aperfeiçoamentos e ou especialização como frutos resultantes desencadeadores e disseminadores dos mesmos, como ênfases de futuro promissor.

2.2.2 – Políticas de distribuição de investimentos

Restritos com perfis e seleções, onde os carnais de divulgação, apresentam dificuldades de expansão inclusão de contornos diversificados, se baseia em critérios de projetos a serem subsidiados aos proclamem editais de encaixes – formatos das políticas públicas direcionadas, com números restritos agremiar universidades e suas regiões em diversidades. Não satisfatória para demandas grandes, cumpre apenas políticas institucionais governamentais e eixos de seus Estados (Média 09 projetos em x ou y contextos escolhidos). Para investimentos em C &T, em políticas de desenvolvimento dos e fontes e carnais básicos de pesquisa, tímido e pequeno para resultados em resultantes para SSAN, na perspectiva de MCTIC e entornos futurados principalmente, pelos eixos do paradigma: Sociedade e informações e desafios das TICs perspectivas digitais.

2.2.3 – Plataforma – MCTIC

Desenho principal de disseminação mais popular digitais e suas funcionais em mecanismos com parcerias e sincronização com: Redes, Bases de dados, repositórios Warehouse; e carnais com aberturas para banda larga; moveis acessíveis por desafios. As regiões mais distantes, pouco acesso mínimo, pelas ausências de desenhos e arquiteturas de expansão de políticas novas políticas redes de redes e satélites de satélites em carnais de projetos abertos em parcerias mundiais, visto com muito temor em políticas governamental, e com ausência de investimento, uma similar embate com a concorrência: O mercado de negócios e seus objetivos diretivos, e lucros sem embasamentos de consistentes contornos de futuro negro, sem produção de conhecimento, como dialógica estratégias : C &T e universidades e outros, para afirmar suas comunidades.

2.2.4 – Dinâmica temática

A proposta de difusão da política – SSAN (ENPSSAN) presente e seus funcionais carnais (MCTIC e perspectivas). Disseminação da informação da Arquitetura digitais /editores de leitores sistemáticos de projetos e funcionais outros TICs e um desenho de suas fontes de colaboração participativa para abertas para inovações. E grupos de pesquisadores e regiões e experiências.

2.2.5 – Recursos TICs, ferramentas pedagógicas: Usualidades

• Recurso e auxílio pedagógico assistente;
• Aprendizagem imersiva como recurso auxiliante didático inovador: Simultâneos com câmeras, note…tablets…Plateias acompanhar.
• Projeção de Slaíds, como manuseio funcionais visuais;
• Programas de assistências: Navegador Charme- Google (Família Microsoft); Familiar -de trabalho auxiliar em SI – Point P.
• Assessoria executiva – “Trio Soluções de eventos”. Com domínio de apresentações, sem acidentes de ausências de domínios.

2.2.6. PENSSAN – Propostas e Feedbacks – Discussão/Reflexão (Governança)
Distribuição em pontos eixos, com 04(Quatros) a frente:

a) Diretrizes futuras? Síntese – Sistematização;

b) Estratégias e ferramentas – S.S – Conhecimento; c) Objetivos/Métodos/Temáticas /Áreas prioritárias ;d) Dificuldades para PENSSAN e resultantes em aproximação. Estimação de tempo: 01(uma hora), e apresentações por síntese e colaborações de grupos membros.

2.2.7 – Interdisciplinaridades e TICs

Buscar suas aplicabilidades exigentes e necessárias para responder aos apelos auxiliantes, enquanto recursos dinâmicos. Para publicações e compartilhamentos acadêmicos, como plataformas e outros. Pelas plateias presentes…sistemas tradicionais de anotações…

2.2.8 – Colaborações participativas e contribuições – “Grupos por regionais centros”

Os grupos cumpriram seus trabalhos e colaborações:

a)Agenda temática(Infraestrutura com espaços e ambientes/Equipe; Continuidades de editais; Sistematização dos ENPSSAN; Previsão dos orçamentos da Rede; Inclusão de novos grupos; Certificação da participação; Acompanhamento; Divulgação dos editais; Eventos conjuntos PENSSAN e Fortalecimento eixos centrais e SIGs;

b) Melhoria da disseminação – produção científica e livres; Seminários; Produtos científicos – vídeos e outros; Cursos formação para uso mídias; Outros carnais de acessos; Criação de arcabouço para resultados de projetos; Formação do uso da plataforma virtual – curso EAD para governança; cartilhas manuais ; Fortificar a plataforma e fomento; Vídeo conferencia dos gestores pesquisadores(Aproximação); Criação de editais para fomento da pesquisa SSAN;

c) Diretrizes definidas SAN com ênfase em sistema alimentador e territórios; Temáticas : SSAN; Estratégias: Assessoria e suportes de referência – áreas ; Sistema alimentador On line como sistematização estruturado;

d) Sobrecarga de atribuições e atividades; Recursos financeiros e humanos; popularização do conhecimento (Literatura de cordel); Articulação; Editais não contínuos; políticas públicas povos tradicionais; Aplicação da modalidade EAD povos tradicionais; Aplicação da modalidade EAD em todos os projetos e em todos os projetos e eixos diretivos, diretivos os de governança.

CONCLUSÃO

Na perspectiva da temática geral de eixos de ligação; conexão e reflexão: “Paradigmas e desafios para ciência cidadã em SSAN.” E na trajetória temáticas por fases e módulos propostos (Implícitos oficinas) por dinâmicos de fontes informacionais metodológicas digitais, e em tópicos e percepções avaliados e seus subsídios resultantes. Temos embasamentos de contextos avançados de estudos e investigações de que poucos avanços em SSAN e no próprio ENPSSAN na proposta como entidade autônoma, e que houve regressão de III – ENPSSAN Paraná e perspectivas Goiânia, em pontos cruciais (Chaves – do ENPSSAN). Em relação aos paradigmas: Ausência de que se conhecia,  firmes eixos da Conjuntura e realidade,  seus determinantes políticos públicos, principalmente em relação a causa principal: Diminutivas políticas da máquina estatal governamental de seus Órgãos divisores e multiplicadores de conhecimento e pesquisa com seus profissionais e gestores; Consequências futuras; O que fazer e como? Em incisos consistentes desde,  é que existem contradição da afirmação da informação difundida sobre dados sobre ao País conectado à Internet e suas políticas em estatísticas de 70% da população conectadadas. Em considerações em TICs, que nível de análise existe em relação retornos e trabalhos e disseminação da Informação com perspectivas cruciais: Acessibilidades; Domínios de ferramentas e recursos mínimos existentes e ao alcance e novos; Ausência de conhecimento sobre mudanças de políticas em sistemas de armazenamentos da informação, mesmo dentro de universidades – Repositórios em nuvem – Autentics; Ausência de projetos de Cooperação interna com áreas departamentais e coordenações de tecnologia da Informação e digitais; Interdisciplinaridades para desencadear investigações em pesquisas e conhecimento para avanços ausentes em SSAN com TICs; Ausências de parcerias e articulação domínios em TICs; Ausências de presenças profissionais em SSAN com formação em TICs – Gestão e estratégias das mesmas para políticas públicas. Os desafios futuros: a) Avanços para carnais exponenciais produção e conhecimento em eixos afluentes: Aprendizagem e conhecimento, para domínios em TICs e suas tutorias e desenhos propostos para conhecimento; b) Contribuições e contrapartida em articulações e parcerias interdisciplinares; Rede aberta Ibero e outras frentes de conexões; Carnais abertos em projetos in Loco de colaborações TICs e outros paralelos básicos; Políticas públicas internas de externas em publicação acadêmicas: Suas entidades de Informação e comunicação – Cientistas – CI Pesquisadores; Pesquisadores em Mídias de comunicação, e etc. Em foco de uma antítese: 100% Educação e eixos para avanços do conhecimento e sua popularização e inclusões verídicas de seus exponentes difusores digitas e sustentáveis Contemporâneos – Produção do conhecimento e popularização e seus cordéis literários e outros diversos e paralelos com seus anelos – TICs simples ou sistematizados com suas sínteses – Blogs, sites, sistemas sincrônicos e outros. É fato e questionamento avançar em conhecimento e aprendizagem em TICs, não deixaremos áreas cruciais: Humanas, Saúde públicas em SSAN; Médicas e formatos disseminativos da informação. TICs, é avanço de arte… E recursos e ferramentas pedagógicas auxiliantes em pesquisas, ensino e formações diversas modalidades em educação.

[Santos, Jusenildes.,(2019). Tópicos e percepções – TICs: Ação estratégicas, Gestão SSAN: Compartilhamento de conhecimento com perspectivas (MCTIC); Eixos práticos C.T – Carnais alimentadores: CO; CS; CN; CNE e CSE [Universidades – Projetos subsídios para: Aprendizagem e conhecimento]. TIC – projetos . University Europeia Atlantic – ES. Ibero americana – Br. Teologia e política – FCP. Docência pratica, Goiânia – UFG ENPSSAN 09 a 13 de setembro de  2019. Goiânia]  University Europeia Atlantic – Ibero. TI. Membro PENSSAN – FIAN – ENPSSAN . Teologia e política – FCP. Docência – Práticas U F G – (Estudo e análise eixos TICs) 09.09.2019].

Publicado por

jusenildes

Pesquisadora Ciência da Informação - TIC digital Aprendizagem e conhecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s