Produção científica – SSAN Disseminação e difusão: extensões


I – Introdução

Abordagem conceitual epistemológico em relação aos eixos em relação a interdisciplinaridade e seus contextos disciplinares extensivos de ligação, e completude além de contextualização na concepção contemporânea no pensamento, (Zitkoski, PP.57, 2014), na amplitude de: Ensino, pesquisa e extensão aplicadas em apelos e vínculos auxiliares de seus cursos, e outros sentidos e sintonia racionais com seus instrumentais, o mesmo faz reflexão que: A racionalidade interdisciplinar, é desafio gritante, e sendo assim, as práxis de profissionais – pesquisadores, impulsionam para produção racional e linhas de formação humana de concepção científica acadêmica – Realidade em aplicabilidade e cultura de relações in loco, indivíduo para indivíduo, se conectado e dialogando, neste a possível conceitua de construções sem paradigma, que emerge e se situa direcionando caminhos e entornos, com linguagem teórica, por vezes filosofando, mediante práticas encontradas e detectadas.


2.0. Produção acadêmica científica


Sua prática, é uma realidade, que conceitua – se por fases, etapas e contextos técnicos por suas metas e ciclos chaves, de pontos de vistas, com seus diálogos e culturas in loco. Define, aborda e abre relações, constrói compressão e contextualiza – se , abre respostas e suas práticas e consultas teóricas conceituais terminologias de suas nomenclaturas para resoluções e soluções.


2.1. Insegurança alimentar


2.1.1. Impedimentos e barreiras em PPP – Projetos em otimizações.


Enfoque teórico tematizando IA, é uma abordagem pré- concebida de preconceitos para os que não aprofundam, estudam e investigam suas peculiares eixos e diálogos de cadeias de interlocuções com outras temáticas para situa – se e definir carnais de abordagem e delimitam sua extensão em déficits, pois produção científica mitigam caminhos.


2.1.2. Carnais epistemológicos de produção científica – Religare acadêmico de outras áreas


Questões e problemáticas, objetos de estudos de investigações e seus eixos de hipóteses com suas afirmações e aberturas e contextos, para resultantes indicativos, independem racionalidade e volumes de suas relações interdisciplinaridades, transdisciplinaridades e pluridisciplinariedade, desafiantes no processo. Ainda, outros de lugares disciplinares abasteceram saberes e construíram epistemologias e terminologias inovativas – Neste faz imprescindíveis produzirem e registrarem seus processos metodológicos, e linguagens conceituadas.


2.1.3.Produtos e recursos informacionais, popularizar – se em seus fins – Destino aprendizagem e conhecimento.


Muitos recursos digitais, metodológicas e ferramentas TICs, são importantes e valorizam a promoção acadêmica em seu ciclo disseminativas- Editores- Autores. Desafios e desbloqueios de exclusivismos da informação, méritos de carnais abertos também inclusivos que determinantes nesta construção de novos conhecimento.


Conclusão


A cadeia de processos de informação e comunicação, são mecanismos de religação disciplinares e seus constructos. Inconcebível profissional e acadêmico, desempenho de práticas e teorias de pesquisa, não construir conhecimento, e muito menos produzir, E abrir carnais de religação e ligações inovativas de diálogos de saberes, com suas culturas, ciências e linguagens. Mais a aprendizagem e conhecimento. Concebemos que IA – PPP, apresentam diagnósticos SSAN, diante de impedimentos e barreiras em PP – Políticas públicas em prevenção em cadeia BIO – Humana, que não encontram meios correlatos científicos em SAN, E que projetos preventivos de saúde médica adequadamente e nutricionalmente, somente se otimizam, em suas equidade naturais. As doenças e patologias desencadeadas pelo processo de insegurança de suas políticas públicas frágeis em suas práticas ativas, mapeadas em suas prevenções clínicas, auxiliam a construção de delimitações de carnais de diálogos científicos de cadeia disciplinares e direções de soluções. Abordagens conceituais de pesquisa e pesquisadores, situando problemas em pesquisa, E buscando respostas e soluções, adentrando em circuitos transdisciplinares, (G. Banner,pp.436,2008), apresenta ícone e desenho de interelacionamento de diálogo de saberes filosóficos, prósperos em cadeia disciplinares, e representação individuais de científica disciplinares e seus atores se interelacionando e transformando, confrontando problemas fins – Tese construída, dentre destas: Ecologia, Agricultura e ciência, Ética, Economia, Setores públicos, Atenção a pesquisa, Sistemas análises, Sociedade civil, Microbiologia[Os carnais de diálogos situa-se: Provedores – Perigos de alertas – Violência, em cadeira[Idem ,pp.437]. Outros carnais conceituais próximas [Parode, V. pp.332, 2014], adentrando e alargando compressão teórica, apresenta a otimização desta prática – Alcance e limites – Estabelecem interelacao de comunicação de diálogo, com informação e produção de conhecimento interdisciplinar e transdisciplinar, conceitua se , suas paralelas epistemologias de alcances e limites, como princípios da ligação dos saberes, reconhecendo possibilidades e viabilidade em outras pensadas, [Morno, 2002], adentrando e buscando outras disciplinares: Física quântica, Neuropsicologia transpessoal, Filosofia [Fenômenos], Linguagem semânticos, e outras. Entendemos, que não existem carnais fechados de construção de conhecimentos, mais em eixos éticos e outros círculos, existem limites e dimensões.


Referência bibliográficas


1. Frodemann, Robert., Klein, J.Tlornpson, Mitchanm, Carl, y Holbrok, Britt., (2010).Tchê Oxford hand book of interdisciplary. Oxford, SPI, Great Britain.(Prefácio)
2. Morno, T., (2002).The Oxford hand book of interdisciplary. Oxford, SPI, Great Britain.[Prefácio].
3. Parode, V., (2010). Interdisciplary – A memória ofan interdisciplinary caráter. , pp.4pp.243,2010.
4. Zitkoski, P.(2014). Interdisciplary – A memorier interdisciplinary cereer, pp.57, 2014. H. Artigs Center. University Jobs.
5. __________., (2014). Interdisciplary- A memorier interdisciplary cereer, pp.437.H.artigs center. University Jobs.
6. Graybill, J. K., Shandas V., (2014). The Oxford hand book of interdisciplary – Doutoral students and Warley cereer academic perspectives ., pp.404.
7. http://euspire.syr.edu/nevaworkshops/>
8. http://univ.ndscieuhumanitiespolicy.org/katrina/
9. http://www.csid.int.edu/
10. http://www.csid.unt.edu/


[Ensaio: Santos, J. (2019). Produção cientifica – SSAN. Disseminação e difusão: Extensões. XIV ENPSSAN, 09 a 14 de Outubro, 2019 UFG, Goiânia. PENSSAN, UFG. University Européia Atlantic – Iberoamericana, Es. TICs – Projects. Teologia e Politica- FCP. Docência prática. 2019].

Publicado por

jusenildes

Pesquisadora Ciência da Informação - TIC digital Aprendizagem e conhecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s